Notícias

Voltar

A representatividade da mulher é destaque no 35º Carijo da Canção Gaúcha

Desde os primórdios de sua história, o tradicionalismo gaúcho traz a força da presença feminina em seu legado. Nesta 35ª edição do Carijo da Canção Gaúcha de Palmeira das Missões, elas protagonizam novos espaços.

A representatividade feminina na 35ª edição do Carijo da Canção da Gaúcha pode ser vista em diversas áreas, desde a organização do evento, que conta com a Secretária Municipal de Educação, Cultura e Turismo, Maria Andreia Maciel Nerling, a ocupar também o cargo de Coordenadora Executiva do Carijo; passa pela equipe de Secretaria e Infra-Estrutura, pelas apresentadoras, banca de júri, instrumentistas, intérpretes e expositoras, chegando até Gabriella Meindrad, Secretária Adjunta da Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul - A SEDAC, através do Pró-Cultura, também financia o projeto. Meindrad é a primeira mulher trans a preencher o cargo, e também se tornou a Presidente da Comissão Estadual dos Festejos Farroupilhas em 2022.

“É a primeira vez que uma mulher trans chega a um cargo de alto escalão no Governo do Rio Grande do Sul, e quando se fala sobre um Estado ainda tão machista, com tantos valores que não cabem mais ao nosso tempo, isso sim é fazer a diferença”, pondera Meindrad. É a primeira vez que a Secretária participa do evento, e expressa a sua emoção não somente por estar inserida no contexto do Carijo, mas também por representar o estado do Rio Grande do Sul por meio do Pró-Cultura. Meindrad acredita que o Carijo da Canção Gaúcha é uma potência com grande importância para os festivais nativistas, para fortalecer e mostrar a identidade da cultura gaúcha.

O palco paralelo do Carijo também é espaço para a representatividade feminina. The All Pargatas é um grupo de música tradicionalista, natural de Bento Gonçalves e composto por quatro mulheres. Mari Mussoi, Paloma Miqüi, Amanda Thomé e Paloma Trevisan contam que a proposta do grupo é tocar a música do cancioneiro gaúcho e trazer uma roupagem mais inclusiva para a cultura gaúcha, livre de estereótipos machistas e preconceitos. “É um carinho que nos emociona, porque isso é grande para nós. Eu acho que poder encorajar outras mulheres que nos acompanham e sentem vontade de cantar, mas que não têm a oportunidade de começar, abrir portas ou, até mesmo, dividir o palco com elas é muito legal”, pontua Trevisan.

A apresentadora desta edição do Carijo ao lado de Ramiro Bregles, Liliana Cardoso comenta: “Ser a primeira mulher negra patrona do Estado do Rio Grande do Sul é uma reparação histórica”. Cardoso também considera que ocupar essa posição pela primeira vez é ter a certeza do pertencimento, do lugar de fala do negro que não somente contribuiu para a cultura do Estado, mas que é a própria história, o alicerce da tradição por meio das danças, da culinária, do linguajar e das vestimentas. Após dois anos de pandemia, a apresentadora pontua que retornar aos palcos traz a sensação de estarmos vivos e desperta o lado afetivo da memória ao vermos o Parque de Exposições lotado, o que prova que Palmeira das Missões resistiu e que a comunidade está em festa.

E não bastando já estas representações da força feminina gaúcha presente no Carijo, neste ano foi Anahy Guedes, que além de se apresentar com seu pai, irmãos e marido no show de Jorgue Guedes e Família, também esteve compondo o júri desta edição do Festival representando as mulheres. "Eu estou muito feliz em represetar todas as minhas colegas, cantoras, artistas, musicistas, e todas as mulheres gaúchas, que gostam da nossa cultura e da nossa arte com muita responsabilidade", disse Anahy. A representação feminina obrigatória na banca de jurados foi algo estipulado em regulamento do 35º Carijo - valendo também para o Carijinho, que nesta 19ª edição teve como jurada Ana Paula Tonelo, e mais uma inovação: pela primeira vez, duas mulheres no comando da noite - a Ronda das Crianças teve como apresentadoras Tânia Maria e Genuína Dalberto. 

VENCEDORAS

Entre os treze finalistas do 19º Carijinho da Canção Gaúcha, nove eram gurias. E entre as três primeiras colocações das categorias Piá, Piazito e Piazote elas ficaram também na frente: Categoria Piá - 1° Lugar - Ana Luiza Berton, de Constantina; Categoria Piazito 1º lugar - Marina Duarte Silveira, Sapucaia do Sul; 2º lugar - Dafne Magnus, de Vacaria; 3º lugar – Larissa da Silva Fernandes, de Palmeira das Missões; na Categoria Piazote 1º lugar – Amanda Andrieli Nunes da Silveira, de Esteio; 3º lugar – Maria Eduarda Ceccon, Palmeira das Missões; e no Trofeu Acervo Carijo, de Emanuelly do Prado, Palmeira das Missões; de quebra, o Show do Intervalo do Carijinho foi com ela, Julia Antonini, a guria natural de Palmeira das Missões, que saiu do palco do Festival infanto-juvenil para o Palco do The Voice Kids, da TV Globo.  Falando do Carijo, nesta 35ª edição o Trofeu Cevadura, de Melhor Intérprete, foi para Lu Schiavo; além disso, pela primeira vez na história do Carijo, temos o Troféu Mulher Tarefeira, para Destaque Feminino: e a primeira grande mulher que levou ele para casa foi Charlise Bandeira, instrumentista que se apresentou com a música A Morena dos Versos, em flauta. 

Thayssa Kruger Almansa 

Victória Silva da Veiga

Luiz Sérgio de Lima Cézar

Mateus Luan Klein Karling

Projeto de Extensão em colaboração com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Palmeira das Missões.